Porque place branding

  • Potencialização de características distintivas
  • Retenção e atração de talentos
  • Captação de investimentos
  • Inserção do lugar no “mapa”
  • Comunicação e divulgação de ativos do lugar
  • Fortalecimento e resiliência do lugar
  • Criação de senso de pertencimento
  • Legado político
  • Promoção do turismo
  • Promoção do engajamento popular

Não existe marca-lugar sem lugar

Esse pensamento que prioriza a vida nos espaços públicos é chamado de “placemaking” uma atividade que propõe a discussão sobre o modelo de cidade que queremos, o modelo de desenvolvimento que queremos, enfim, como queremos viver nas nossas cidades.

Uma filosofia de transformação de espaços públicos através da articulação da sociedade.

Essa ferramenta, prática de certa forma, nasce para melhorar um bairro, cidade ou região, com uma abordagem transformadora que inspira as pessoas a criar e melhorar, e mais do que isso, se apropriar dos espaços públicos.

O placemaking é uma ferramenta poderosa para fortalecer a conexão entre as pessoas e os lugares de uso comum.

Mas, não é apenas sobre a qualidade urbana que o tema trata, ele insere lugares no mapa com suas verdadeiras vertentes de interesse, em outras palavras, ele exalta e trabalha o que a cidade ou bairro tem a oferecer à população, e também a seus visitantes, seus principais “produtos e serviços”.

#1

Muito mais do que belas imagens, o place branding trabalha com o conceito, a ideia central que move (e perpetua) um lugar

Não só de turismo vive um lugar

Faça um pequeno teste, quando pensamos nesses três lugares o que vem automaticamente em nossas cabeças? Las Vegas, Vale do Silício e Orlando.

Todos ou quase todos relacionaram esses lugares com: Jogos ou entretenimento, inovação e diversão.

Desde sempre criamos associações para conferir importância a um lugar: a cidade do doce em compota, o polo gastronômico de tal lugar, ou a ebulição cultural de outro lugar, a rua dos teatros, a praça dos cafés e por aí vai…

Muito mais comum é a relação entre branding de lugares e turismo.

Essa é uma vantagem óbvia para um lugar, características turísticas são distintivas por definição.

Mas e quando os lugares não tem vocações turísticas? O que fazer? Simplesmente ignorá-los?

Não mesmo!

#2

Place branding atrai investimento, retém e atrai talentos, insere seu lugar no mundo!

Muito além do cartão-postal

Muito além de comunicar um “landmark”, o Place branding também pode servir como uma importante ferramenta de engajamento social e político. Uma forma de criar uma “ideia comum”.

É nesse momento que, comunidade, empresários e poder público podem se juntar para discutir e construir um modelo de marca-lugar sonhado.

Sua construção colaborativa pode ser capaz de reunir pessoas diferentes, de perfis diferentes em torno da mesma ideia.

Muito mais do que vender imagens de cartão postal, o Place branding é bastante poderoso para unir indivíduos em torno de uma ideia comum, logo, o Place branding também é uma forma de engajamento e de transformação.

O Place branding, muito além da identidade visual, potencializa o que o lugar tem de melhor e trabalha a comunicação desses diferenciais para dentro e para fora.

Nunca ninguém para pra pensar, racionalmente, porque ama o lugar x ou porque adora passear pela rua y, mas acredite, por trás de tanta identificação existem empresas especializadas em proporcionar essas experiências.

#3

Uma marca-lugar é muito mais do que uma marca de governo ou um logotipo